Antigamente era melhor?

Uma coisa que eu vim a pensar nestes últimos meses sobre o passado e de como muitos de nós vanglorizamos o mesmo. Dizemos, quase sempre, que aquele filme era melhor do que a atual versão, que os jogos de antigamente eram melhores e, até mesmo, o estilo de vestir – em raros casos – eram melhores que os de hoje em dia, mas isto de fato é verdade?

É algo interessante para se analisar num ponto de vista sócio-cultural de como temos a tendência natural de cultuar o passado e deixá-lo mais cativante do que realmente o é. E é nesta esteira que acabamos dando ainda mais valor daquilo do que passamos naquele dado momento em tempos anteriores. E ficamos estarrecidos com o que vemos hoje em dia e com a “má” qualidade dos produtos culturais que acabam chegando em nossas mãos.

Filmes que não nos chamam a real atenção. Livros fraquissimos se comparados com os autores do passado, seriados que vão aquém daquilo que esperamos e que sempre, e sempre, são a mesma coisa no final e, o que é da nossa seara, jogos que brilham nos gráficos, mas pecam no divertimento, história e imaginação. Enfim, o que diabos acontece com a gente?

Os Goonnies

Querem fazer um Prequel deste filme maravilhoso, será mesmo maravilhoso

O Feitiço do Passado

Acontece, pelo que eu posso notar, uma única coisa. Somos tremendamente impressionáveis. Sim, é quase um fato que não precisa de maiores comprovações que o ser humano, antes de muitas outras coisas antes disso, é um bicho impressionável e que quanto mais jovem, mais o é. Vide, por exemplo, na questão biológica da coisa:

Um homem vê uma mulher com uma tapa na cara de coxa, uma bunda dos infernos, um rosto angelical e uma bunda que você enlouquece só de olhar. É um fato impressionante e que impressiona o homem, mesmo que esta dita mulher não tenha nada na cabeça. E o mesmo vai na questão de um filme que realmente pode impressionar – um recente como Avatar -, mas não passa disso, sem contar que é algo que ninguém vai lembrar depois de um certo tempo. (Leitoras, troquem uma mulher por um homem e alguns arquetipos e o efeito é o mesmo)

Gostosa mesmo

Permitido para maiores de 14+

E o que eu quero dizer com isso tudo? Simples, o nosso passado nos condena. Quantas e quantas vezes, tivemos nosso quinhão de surpresas quando soubemos que o Papai Noel deixou o presente que queríamos na árvore de natal? Ou que o Coelhinho da Páscoa nos deu aquele ovo de chocolate que tanto queríamos. E que o Mario podia fazer mil e uma coisas no Super Mario Bros. 3 ou que podíamos ganhar de Airton Senna no Super Monaco GP 2? E, indo mais atrás, que podíamos ser um capitão de submarino em Seaquest ou defender a terra num jogo que tem misseis que eu me esqueci o nome? 😛

Com isso em mente e a nossa infância fervendo naquele passado remoto, ficamos com a ideia fixa de que aqueles jogos que preencheram boa parte de nossas vidas são realmente aquelas joias preciosas de um tempo distante que nunca mais teremos ou veremos de novo. E que aquilo nunca se repetirá nos tempos vindouros. Isto é o feitiço do passado.

Antigamente era realmente melhor?

Seria melhor que o atual?

Road Rash 1, onde a pancadaria e velocidade eram amigas!

Posso dizer que, de boca cheia, não. O passado não era melhor do que o é hoje em dia. O que temos, na verdade, é uma opinião da massa que indica que o passado era melhor, mas isto se dá porque eramos, em grande parte, pequenos seres humanos impressionáveis, como eu havia dito acima. Se formos pegar os adultos ou jovens adultos da época, eles irão, quase que certamente, dizer que aquela geração não era lá grande coisa e os tempos deles de criança e adolescentes eram bem mais interessantes em termos gerais.

E isto se dará hoje em dia, quando, daqui a 10 anos, a nova geração estiver pegando os seus Playstation 5, XBoX 1024 e Wii Yu-gi-Oh, a geração de hoje dirá que a geração de amanhã é uma porcaria e que os PS2/PS3 deles tinham jogos melhores e que os nossos queridos Atari, Mega, Super Nintendo e afins, eram porcarias que nem para se divertir serviam.

E para vocês, o que é realmente melhor, antigamente ou os dias de hoje?

Anúncios

3 comentários em “Antigamente era melhor?

  1. Daniel, falou tudo.
    O povo que reclama que jogo hoje é só gráfico queria o que, que fizessem um Heavy Rain com a técnica dos 16-bit? Muita coisa que é vista como praga da geração atual sempre existiu, procurem por jogos de plataforma em 8-bit e verão milhares de cópias de PitFall, Super Mario e Higar. O mesmo vale para jogos com imagens que impressionam e nada mais, os computadores antigos eram cheios de joguinhos fuleiros inspirados em hentai. E por aí vai…

  2. É meio difícil pensar nisso, jogos de antigamente que eu nunca havia jogado antes e jogo hoje me divertem mais do que 90% dos jogos atuais, hoje não encontro mtos jogos que me divirtam.

  3. tenho o mesmo sentimento…acho que antigamente,além de termos toda tarde pra jogar, o acesso aos jogos era bem mais dificil…além do preço, a falta da pirataria…etc…hj em dia apesar do preço de jogos do ps3 por exemplo, existem jogos bons e divertidos…é que na infância a diversão tem realmente outro sentido…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s